quarta-feira, 21 de fevereiro de 2018

A toga e o armário – I (ed. 17/2/2018)

Descrição para cegos: foto do professor José Baptista de Mello Neto no estúdio, falando ao microfone durante a entrevista.
A homofobia presente no meio jurídico, que se manifesta desde os cursos de Direito até o exercício profissional de carreiras no judiciário, foi tema de entrevista com o professor José Baptista de Mello Neto. Ele é coordenador do Grupo de Direitos e Cidadania das Sexualidades Divergentes, do Centro de Ciências Jurídicas da Universidade Federal da Paraíba. A produção foi de Robson Martins.

A toga e o armário – II (ed. 17/2/2018)

Descrição para cegos: foto do professor José Baptista de Mello Neto falando ao microfone, durante a entrevista no estúdio.
A homofobia presente no meio jurídico, que se manifesta desde os cursos de Direito até o exercício profissional de carreiras no judiciário, foi tema de entrevista com o professor José Baptista de Mello Neto. Ele é coordenador do Grupo de Direitos e Cidadania das Sexualidades Divergentes, do Centro de Ciências Jurídicas da Universidade Federal da Paraíba. A produção foi de Robson Martins.

domingo, 18 de fevereiro de 2018

O experimentalismo do Jaguaribe Carne – I (ed. 17/2/2018)

Descrição para cegos: foto de Pedro Osmar, no estúdio, durante a entrevista. Atrás dele, há vários estudantes sentados. 
Já são mais de 40 anos de existência. Na primeira metade, o Jaguaribe Carne enfrentou e desafiou preconceitos do público, da mídia e até do meio artístico. Mas sua importância hoje é reconhecida até nos estudos acadêmicos. Sobre o grupo, o Espaço Experimental entrevistou Pedro Osmar, um dos seus integrantes, e George Glauber, que recentemente lançou o livro Jaguaribe Carne: experimentalismo na música paraibana, resultado da sua pesquisa para obtenção do mestrado em Etnomusicologia na Universidade Federal da Paraíba. A produção foi de Gabi Alencar, Isy Veras e Lucas Carvalho.

O experimentalismo do Jaguaribe Carne – II (ed. 17/2/2018)

Descrição para cegos: foto do professor George Glauber no estúdio, durante a entrevista, falando ao microfone.
Já são mais de 40 anos de existência. Na primeira metade, o Jaguaribe Carne enfrentou e desafiou preconceitos do público, da mídia e até do meio artístico. Mas sua importância hoje é reconhecida até nos estudos acadêmicos. Sobre o grupo, o Espaço Experimental entrevistou Pedro Osmar, um dos seus integrantes, e George Glauber, que recentemente lançou o livro Jaguaribe Carne: experimentalismo na música paraibana, resultado da sua pesquisa para obtenção do mestrado em Etnomusicologia na Universidade Federal da Paraíba. A produção foi de Gabi Alencar, Isy Veras e Lucas Carvalho.

quarta-feira, 14 de fevereiro de 2018

O Pamin e o patrimônio imaterial – I (ed. 10/2/2018)

Descrição para cegos: foto da professora Luciana Chiança falando ao microfone, durante a entrevista.
A professora Luciana Chianca, do Departamento de Ciências Sociais da UFPB, foi convidada pelo Espaço Experimental para falar sobre patrimônio imaterial. Ela é responsável pelo projeto Patrimônio, Memória e Interatividade- o Pamin – que se alia as tecnologias da informação à preservação desse patrimônio na Paraíba. A produção foi de Carolina Jurado, Laís Suassuna e Luan Alexandre.

O Pamin e o patrimônio imaterial – II (ed. 10/2/2018)

Descrição para cegos: foto da professora Luciana Chianca no estúdio, durante a entrevista, falando ao microfone.
A professora Luciana Chianca, do Departamento de Ciências Sociais da UFPB, foi convidada pelo Espaço Experimental para falar sobre patrimônio imaterial. Ela é responsável pelo projeto Patrimônio, Memória e Interatividade- o Pamin – que se alia as tecnologias da informação à preservação desse patrimônio na Paraíba. A produção foi de Carolina Jurado, Laís Suassuna e Luan Alexandre.

domingo, 11 de fevereiro de 2018

João Carlos Beltrão e o audiovisual paraibano – I (ed. 10/2/2018)

Descrição para cegos: foto de João Carlos Beltrão durante a entrevista, no estúdio.
No seu retorno depois de algumas semanas fora do ar devido a problemas técnicos na Rádio Tabajara AM, o Espaço Experimental trouxe uma entrevista com o diretor de fotografia João Carlos Beltrão. Seu nome está vinculado há mais de 50 obras audiovisuais, dentre elas, Tudo Que Deus Criou, de André da Costa Pinto; Cinema, Aspirina e Urubus, de Marcelo Gomes; e O Engenho de Zé Lins, de Vladimir Carvalho. A produção foi de Laís Suassuna, Luan Alexandre e Luíza Araújo.

João Carlos Beltrão e o audiovisual paraibano – II (ed. 10/2/2018)

Descrição para cegos: foto de João Carlos Beltrão no estúdio, durante a entrevista, falando ao microfone.
No seu retorno depois de algumas semanas fora do ar devido a problemas técnicos na Rádio Tabajara AM, o Espaço Experimental trouxe uma entrevista com o diretor de fotografia João Carlos Beltrão. Seu nome está vinculado há mais de 50 obras audiovisuais, dentre elas, Tudo Que Deus Criou, de André da Costa Pinto; Cinema, Aspirina e Urubus, de Marcelo Gomes; e O Engenho de Zé Lins, de Vladimir Carvalho. A produção foi de Laís Suassuna, Luan Alexandre e Luíza Araújo.

quinta-feira, 18 de janeiro de 2018

Chico Ferreira – I (ed. 13/1/2018)

Descrição para cegos: foto de Chico Ferreira falando ao microfone, durante a entrevista, no estúdio.
A descendência de mulheres artesãs molda as formas da arte de Chico Ferreira, artista inquieto que em seus 35 anos de carreira conquistou uma reputação positiva no meio cultural paraibano, apesar de algumas das suas intervenções-protesto terem incomodado muita gente. Sobre sua carreira e sua obra, ele foi entrevistado por Samuel Amaral para o Espaço Experimental.

Chico Ferreira – II (ed. 13/1/2018)

Descrição para cegos: foto de Chico Ferreira durante a entrevista, falando ao microfone.
A descendência de mulheres artesãs molda as formas da arte de Chico Ferreira, artista inquieto que em seus 35 anos de carreira conquistou uma reputação positiva no meio cultural paraibano, apesar de algumas das suas intervenções-protesto terem incomodado muita gente. Sobre sua carreira e sua obra, ele foi entrevistado por Samuel Amaral para o Espaço Experimental.

sábado, 13 de janeiro de 2018

A Música é da Rua, por Dario Junior – I (ed. 13/1/2018)

Descrição para cegos: foto de Dario Junior no estúdio, falando ao microfone, durante a entrevista.
Hoje à noite, na Praça da Paz, no Bairro dos Bancários, acontece mais um show do projeto Música é da Rua, que será antecedido por aula pública ministrada por professores da Universidade Federal da Paraíba tendo como tema Em defesa da democracia. Sobre o projeto, que propõe a ocupação de espaços públicos com eventos culturais envolvendo música e outras formas de expressão, o Espaço Experimental entrevistou um dos coordenadores, o músico Dario Junior. A produção foi de Cephas Castro.

A Música é da Rua, por Dario Junior – II (ed. 13/1/2018)

Descrição para cegos: foto de Dario Junior falando ao microfone, durante a entrevista.
Hoje à noite, na Praça da Paz, no Bairro dos Bancários, acontece mais um show do projeto Música é da Rua, que será antecedido por aula pública ministrada por professores da Universidade Federal da Paraíba tendo como tema Em defesa da democracia. Sobre o projeto, que propõe a ocupação de espaços públicos com eventos culturais envolvendo música e outras formas de expressão, o Espaço Experimental entrevistou um dos coordenadores, o músico Dario Junior. A produção foi de Cephas Castro.

quinta-feira, 11 de janeiro de 2018

Dialogismo e metalinguagem no cinema – I (ed. 6/1/2018)

Descrição para cegos: foto de Afonso Barbosa falando ao microfone, durante a entrevista.
No último sábado, o Espaço Experimental entrevistou o pesquisador Afonso Barbosa. Em pauta, o dialogismo e a metalinguagem no cinema, tema da pesquisa com que obteve o doutorado em Letras pela Universidade Federal da Paraíba. Ele foi entrevistado pela repórter Laís Suassuna.

Dialogismo e metalinguagem no cinema – II (ed. 6/1/2018)

Descrição para cegos: foto de Afonso Barbosa no estúdio, durante a entrevista, falando ao microfone.
No último sábado, o Espaço Experimental entrevistou o pesquisador Afonso Barbosa. Em pauta, o dialogismo e a metalinguagem no cinema, tema da pesquisa com que obteve o doutorado em Letras pela Universidade Federal da Paraíba. Ele foi entrevistado pela repórter Laís Suassuna.

segunda-feira, 8 de janeiro de 2018

A arte da Palhaçaria, por Diocélio Barbosa – I (ed. 6/1/2018)

Descrição para cegos: foto de Diocélio Barbosa no estúdio, falando ao microfone durante a entrevista.
O Gerente Operacional da área de Circo da Fundação Espaço Cultural José Lins do Rêgo, bem como o Diretor da Escola Livre de Circo Djalma Buranhêm é também conhecido como Palhaço Chulé. Além de dedicar-se à arte circense, o artista Diocélio Barbosa também estuda essa linguagem sob uma perspectiva acadêmica. Sobre seus estudos e sua carreira, ele foi entrevistado para o Espaço Experimental pela repórter Danielle Mendes.