segunda-feira, 21 de agosto de 2017

Chupeta eletrônica desenvolvida no IFPB monitora temperatura da criança (ed. 19/8/2017)

Descrição para cegos: foto de uma mão segurando dois dispositivos que consistem o bubu eletrônico. Uma delas tem a aparência de uma chupeta comum, a outra é uma pequena caixa com circuitos que na imagem é apresentada aberta.
O Bubu Eletrônico, além de funcionar como um consolo normal, também permite monitorar a temperatura corporal do bebê. O dispositivo é resultado de uma pesquisa dos estudantes Adjamilton Júnior, Júlio Coêlho e Rychard Guedes, do curso de Engenharia Elétrica do Instituto Federal de Educação da Paraíba. O dispositivo foi criado para ajudar no acompanhamento da saúde de crianças. Com destaque em eventos nacionais, em julho a equipe representou o Brasil na Imagine Cup, competição da Microsoft, nos Estados Unidos. A repórter Jéssica Soares tem mais informações.

Ong cobra inclusão de povos tradicionais em projetos de expansão digital (ed. 19/8/2017)

Descrição para cegos: foto de Laura Tresca sorrindo para a câmera.
A Coordenadora de Direito Digital da Ong Artigo 19, Laura Tresca, esteve na Paraíba para participar de um evento que debateu a inclusão digital. A organização promove o direito à liberdade de expressão e acesso à informação em todo o mundo. Laura defendeu a importância de levar internet para comunidades urbanas, rurais e de povos tradicionais. Mais informações com a repórter Danielle Mendes.

domingo, 20 de agosto de 2017

Diagnóstico e tratamento do TDAH foi tema de simpósio na UFPB (ed. 19/8/2017)

Descrição para cegos: foto de Kátia Petribu olhando para a câmera.
O Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade norteou discussões no II Simpósio Paraibano sobre o assunto. O evento ocorreu na última semana e foi promovido pelo Setor de Psiquiatria do Hospital Universitário Lauro Wanderley. Na palestra de abertura, a psiquiatra e professora Kátia Petribu abordou o diagnóstico e o tratamento do TDAH. A partir da análise de casos clínicos, Kátia apresentou os sintomas recorrentes do transtorno tanto em crianças quanto em adultos. Ela ainda chamou a atenção para a importância do diagnóstico precoce e do tratamento farmacológico, se necessário. Kátia Petribu é doutora em Medicina e Saúde pela Universidade Federal da Bahia e psiquiatra na Fundação de Saúde Amaury Medeiros, de Pernambuco. O repórter Douglas de Oliveira entrevistou a psiquiatra para o Espaço Experimental.

Evento na UFPB desfaz mitos sobre Transtorno de Déficit de Atenção (ed. 19/8/2017)

Descrição para cegos: foto de Alfredo Minervino olhando para a câmera.
A exposição ocorreu durante minicurso no II Simpósio Paraibano sobre TDAH (Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade). Ministrado pelo psiquiatra Alfredo Minervino, aconteceu terça-feira, no auditório de Fonoaudiologia e Terapia Ocupacional. Com o título TDAH: tratamento, mitos, realidades e necessidades, a exposição teve foco em diversas particularidades da doença. Uma delas foi o mito de que a medicação do transtorno pode causar dependência química em quem faz uso dela. A repórter Carolina Jurado entrevistou o psiquiatra Alfredo Minervino, Mestre em Neuropsiquiatria e Ciências do Comportamento pela UFPE. Ele é Chefe da Residência em Psiquiatria da Universidade Federal da Paraíba.

Exposição retrata o cotidiano através de técnicas mistas (ed. 19/8/2017)

Descrição para cegos: foto da abertura da exposição. À esquerda, mostra quatro pessoas olhando algumas obras na parede; à direita, três conversam e, ao centro, uma mulher observa os grupos.
A mostra Narrativas, realizada pelos artistas Vanessa Cardoso e Guto Holanda, cria um diálogo entre trabalho artístico e temáticas cotidianas. Apresentando obras compostas por diversos materiais, do bordado às tintas, a exposição foi inaugurada na última terça-feira na Galeria Lavandeira. As obras estarão disponíveis para o público até o dia 11 de setembro, na Galeria do Centro de Comunicação, Ciências e Artes da UFPB. Vanessa Cardoso é formada em Artes Visuais e Guto Holanda, em Pedagogia, ambos pela UFPB. A repórter Gabriela Güllich esteve na inauguração na última terça-feira e entrevistou os artistas.

sábado, 19 de agosto de 2017

Em assembleia geral, Aduf definiu agenda de mobilização (ed. 19/8/2017)

Descrição para cegos: foto do professor Marcelo Sitcovsky falando em um microfone.
Realizada pelo Sindicato dos Docentes da UFPB, a assembleia ocorreu quarta-feira, no Centro de Vivência do Campus I. No encontro foi feita uma avaliação e repassadas informações sobre o Congresso Nacional de Associações Docentes, ocorrido em julho, em Niterói. Também foi debatida a reunião ampliada do Fórum das Entidades Nacionais dos Servidores Públicos Federais, o Fonasefe, realizada este mês. Na ocasião foram abordados os últimos cortes e contingenciamentos do Governo Federal na educação. Discutiu-se também a situação dos mais de 200 alunos da UFPB cortados do auxílio moradia e Residência Universitária. Outro assunto abordado foi a revisão da ocupação dos espaços no campus que prevê a cobrança de aluguel das representações de estudantes e servidores – centros acadêmicos e sindicatos. A repórter Jéssica Soares conversou com o presidente do sindicato dos professores da UFPB, Marcelo Sitcovsky, sobre a assembleia.

Curso de Relações Internacionais da UFPB discutiu crise e luta de classes (ed. 19/8/2017)

Descrição para cegos: foto de Janaína Stronzake olhando para a câmera. Atrás delas aparece parte do mobiliário colocado no palco do auditório para a conferência: telão, mesa e púlpito para conferencistas.
O evento ocorreu no último dia 11, tendo Janaína Stronzake como palestrante. Ela é historiadora, militante do MST e de movimentos feministas. A palestra teve como tema Crise Capitalista, Luta de Classes e Relações Internacionais. A professora abordou a crise do capitalismo, os movimentos sociais e o cenário político atual. O repórter Luan Alexandre entrevistou Janaína Stronzake para o Espaço Experimental.

quarta-feira, 16 de agosto de 2017

Gestão pública da água foi tema de Simpósio na UFPB (ed. 12/8/2017)

Descrição para cegos: foto do professor José Farias olhando para a câmera. 
O evento foi promovido pelo Programa de Pós-Graduação em Ciências Jurídicas e pelo Instituto O Direito por um Planeta Verde. O primeiro painel do III Simpósio de Direito Ambiental da Região Nordeste teve como título Crise Hídrica, Complexidade e Gestão da Água no Semiárido. Os palestrantes levantaram questões relacionadas à convivência com o semiárido e à má administração institucional e pessoal da água. Participaram do painel os professores José Farias de Souza Filho, do Unipê; José Irivaldo Alves de Oliveira Silva, da Universidade Federal de Campina Grande; Victor Rafael Fernandes Alves, da Universidade Potiguar; e José Esteban de Castro, da Universidade New Castle. Em sua exposição, José Farias ressaltou que o problema da água demanda tratar de outros fatores do meio ambiente de forma conjunta. Ele também é promotor de Defesa do Meio Ambiente do Ministério Público da Paraíba. O repórter Douglas de Oliveira entrevistou José Farias de Souza Filho para o Espaço Experimental.

terça-feira, 15 de agosto de 2017

Painel discutiu a ausência de democratização no acesso à água (ed. 12/8/2017)

Descrição para cegos: foto do professor Ronaldo Alencar olhando para a câmera.
O evento ocorreu na última quinta-feira, no auditório da Reitoria da UFPB. Ele fez parte do III Simpósio de Direito Ambiental da Região Nordeste. O debate teve o intuito de proporcionar reflexão sobre os direitos e deveres que a sociedade tem com a água. Os assuntos levantados foram a má gestão dos recursos hídricos na Paraíba, a dificuldade no acesso à água, a indústria da seca e o direito ambiental. Segundo o professor Ronaldo Alencar, a falta de orientação e divulgação dos temas é uma das principais causas dos problemas hídricos. A repórter Maria Clara Lima entrevistou Ronaldo Alencar para o Espaço Experimental. Ele é professor do Departamento de Ciências Jurídicas da UFPB.

segunda-feira, 14 de agosto de 2017

Revista Malembe lançou edição dedicada e produzida por mulheres (ed. 12/8/2017)

Descrição para cegos: foto da capa da quarta edição da revista Malembe. É composta por uma ilustração em que recortes de fotos e desenhos se confundem em obra de arte quase abstrata.

De circulação semestral, Malembe é um periódico dedicado à Literatura e está no seu quarto número. A proposta da nova edição surgiu da necessidade de visibilizar a produção feminina. Idealizada por Carlos Nascimento, Débora Gil Pantaleão e Guilherme Delgado, suas editorias são específicas para cada gênero literário. A nova edição ganhou mais uma categoria, dedicada à tradução. Mais informações com a repórter Bianca Patrícia.

Fórum debateu relação entre família e instituições de educação infantil (ed. 12/8/2017)

Descrição para cegos: foto de Emília Barros falando em um microfone que segura com a mão esquerda.
O debate ocorreu em evento organizado pelo Centro de Educação da UFPB e teve como palestrante Emília Barros. O II Fórum Temático sobre Educação Infantil aconteceu nesta última quarta-feira, no auditório da Central de Aulas, campus de João Pessoa. A exposição seguiu quatro contextos relacionados à educação infantil: o histórico, o político, o pedagógico e o dos afetos. Relacionado ao histórico, a palestrante ressaltou a importância da conquista dos vários modelos de família legitimados socialmente e legalmente. A repórter Carolina Jurado entrevistou Emília Barros, Mestre em Educação pela Universidade Federal da Paraíba. Ela tem formação em Psicanálise pela Sociedade Psicanalítica da Paraíba.

domingo, 13 de agosto de 2017

Estudo investiga uso antiético do neuromarketing (ed. 12/8/2017)

Descrição para cegos: foto do professor David Drieskens de pé, falando em um microfone. Atrás dele há uma projeção sobre uma tela, onde aparecem desfocadas algumas palavras.
O assunto está sendo estudado pelo pesquisador David Drieskens, doutorando em Neurociências na Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Neuromarketing é uma das ciências que estudam o comportamento do consumidor. Nela, a comunicação e as neurociências têm encontrado um ponto em comum. Em recentes pesquisas, atestou-se a funcionalidade de estudar as escolhas do consumidor através de imagens do seu cérebro. Mais informações com o repórter Douglas de Oliveira.

Pesquisa busca desenvolver novo fármaco antidepressivo mais eficiente (ed. 12/8/2017)

Descrição para cegos: foto da professora Elaine Gaviole sorrindo para a câmera. Ela está de pé e atrás dela veem-se dois sofás, uma mesa de centro com um vaso com flores e, na parede, banner de um evento.
A partir dele, será possível produzir medicamento capaz de dar respostas mais rápidas a pacientes com depressão, com um mínimo de efeitos colaterais. O trabalho está sendo realizado pela professora Elaine Gavioli, da Universidade Federal do Rio Grande do Norte. As pesquisas ainda estão em estágio de testes pré-clínicos com animais. O repórter Samuel Amaral conversou com a professora e traz mais detalhes.

Diagnóstico precoce tem potencial para retardar processos demenciais (ed. 12/8/2017)

Descrição para cegos: foto do professor Bernardino Fernandéz olhando para a câmera.
O professor Bernardino Fernandéz, do Departamento de Psicologia da UFPB, estuda o envelhecimento cognitivo e o benefício do diagnóstico precoce. Segundo ele, as demências podem ser adiadas por até cinco anos quando diagnosticadas antecipadamente. Contudo, é necessário que as pessoas sejam informadas sobre as formas de tratamento, para que se obtenha melhores resultados. Mais informações com a repórter Maria Clara Lima.

sábado, 12 de agosto de 2017

Racismos, antirracismos e culturas de branquitude foram discutidos na UFPB (ed. 12/8/2017)

Descrição para cegos: foto do professor Petrônio Domingues sentado, falando em um microfone que segura com a mão direita enquanto gesticula com a esquerda.
O evento foi organizado pelo Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes e pelo Núcleo de Estudos e Pesquisas Afro-Brasileiros e Indígenas, o Neabi. A mesa do debate foi realizada para abertura do período letivo do CCHLA e aconteceu terça-feira, no auditório deste Centro. A mesa foi composta pelos professores Petrônio Domingues, da Universidade Federal de Sergipe; Elio Chaves Flores, do Departamento de História da UFPB; e Mônica Nóbrega, Diretora do CCHLA. Foram debatidos diversos aspectos do tema, como o histórico do racismo no Brasil e as políticas públicas de antirracismo. Na ocasião foi ressaltada a importância do estudo das culturas de branquitude para um entendimento mais aprofundado das questões raciais. A repórter Jéssica Soares entrevistou Petrônio Domingues, Doutor em História Social pela Universidade de São Paulo. Ele é docente da pós-graduação em História da UFS.